Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Os meses do ano

amaralrita, 07.05.15

Maio é um mês terrível para se fazer anos - para quem não faz anos em Maio.

É quase Verão, está sol, é de dia às 8 da noite e parece que todas as quintas, sextas e sábados há alguém a fazer anos.

E quando não é a festejar o aniversário, é a festejar o final das aulas, o final do estágio, o final da faculdade, é o final de tudo. Não percebo porquê tanto êxtase, também vão beber copos para celebrar o final de um livro ou de um filme? Mania deste povo que quer andar sempre na borga. E depois admira-se que está pobre quando bebeu 50 imperiais e 30 caipirinhas numa noite.

Mas toda esta discussão deu-me a inspiração para vos finalmente explicar a teoria dos meses. Sim, meus caros, os meses são como pessoas, têm características próprias, virtudes e muitos defeitos. E como tudo na vida, há pessoas de que gostamos por isso a minha opinião sobre cada mês vale o que vale (tudo, portanto).

 

Vamos então apresentar estes rapazes que nós conhecemos tão bem mas não nos apercebemos bem quem são:

 

Janeiro é um florzinha de estufa. É tão optimista que até irrita mas toda a gente cai na sua conversa de ano novo vida nova. E todos os anos quando nos encontramos é sempre a mesma conversa:

- Já não te via há um ano - mas foi ganda ano, não foi? Não fizeste nada do que tinhas planeado e estás mais gorda desde o Natal! Oh, mas continuas linda e vais ver que este ano é que vai tudo acontecer! Vais comigo para o ginásio, vais almoçar fora e devorar as saladas do Vitaminas e vamos esquecer o parvalhão do ano passado e olhar para TODOS os bonzões que vais conhecer este ano. Ah, sim, minha querida, porque este verão vai ser DE-MAIS! Juro-te, eu prometo-te que este mês vais ser tudo aquilo que tu esperas.

Sempre a mesma conversa. Janeiro é só garganta.

 

Fevereiro tem o problema de ser o irmão mais novo de Janeiro mas é um irmão mais novo adorável e que cai nas boas graças de toda a gente porque tem menos segundas-feiras. E gostamos dele porque a única coisa que faz da vida é dar prémios a cantores, actores, realizadores, produtores, artistas, etc. etc. etc. Pequeno, simpático, elogiador mas tem o grave problema de ser amante do frio. Ele até gosta de sol mas não se dá bem com o calor. Assim ele adora dias gelados mas com um sol quentinho - e quando ele aparece não dá para resistir ao seu encanto!


Março é aquele teu amigo de infância que ficas meses sem ver mas quando regressa é sempre uma festa. Podem continuar a haver guerras, acidentes, terramotos e furacões no mundo inteiro mas ele continua sempre a aparecer de mão dada com a prima Vera, com um sorriso na cara, a espalhar a sua magia, com flores, sol, campo, vento quente...ah e quando ele vem e traz-me morangos  e nêsperas? Ah passo-me com ele por me mimar tanto. E aquele truque que ele faz, de mudar a hora? Fogo, é daqueles amigos que nunca falha e que te fica no coração, para sempre.

 

Abril é o maior filho da puta que já conheci em toda a minha vida. Odeio-o e se o pudesse matar, matava-o já (só não o mato porque uma das minhas melhores amigas faz anos em Abril, mas só por isso!). Então mas ele vê o pessoal todo contente com a Primavera e aparece, dá-nos um chuto no rabo e espalha o terror com chuvas e trovoadas? Então um anda a espalhar sol e o outro vai lá e destrói tudo? Epa, que falta de respeito, a sério! É que até Fevereiro tem pena das pessoas e dá frio - agora o sacana do Abril está a marimbar-se se deixa as pessoas todas outra vez em depressão com o tempo cinzento. Que falta de sensibilidade! É que nem digo mais nada se não passo-me!

 

Maio, que já falei em cima, é o mês dos nascimentos. Maio é o salvador disto tudo. É o melhor promotor de eventos, só dá festas de aniversário, semanas académicas, jantares de finalistas, tudo. Ele abre-nos as portas para o mundo que aí vem, ele faz-nos lembrar porque é que gostamos de sair à noite com aqueles amigos que não vemos durante o ano. Maio é aquele amigo que te diz "tem calma, o pior já passou, bora curtir a vida". E com o dom de abençoar trinta mil nascimentos por ano, há sempre uma boa desculpa para sair de casa e festejar tudo, todas as noites.

 

Quando Junho chega só há três palavras a dizer: CHEGOU O VERÃO! Verão, praia, férias, cocktails, bares abertos, tudo a que temos direito. É um tipo porreiro porque quer celebrar contigo o facto de teres sobrevivo 6 meses do ano a trabalhar no duro, com os teus novos projectos e paixonetas. Ele recebe-te de braços abertos com os santos populares, os passeios em Belém, as idas ao Santini. Ele quer que tu gozes os finais de tarde que começam às oito da noite, ele quer que tu nunca chegues a casa, ele quer que uses e abuses dos calções de ganga e das havaianas. Ele é super descomprometido e tu não te importas nada com isso.

 

Mas Julho é o meu segundo bff (têm de esperar pelo primeiro mais abaixo) e resume-se em uma palavra: FESTIVALEIRO. Dá-me tantas alegrias este rapaz, ele sabe bem do que eu gosto, ele sabe exactamente como me convencer a ir passear com ele para Algés, todos os anos. Ele sabe fazer o equilíbrio entre os dias quentes e as noites amenas. Ele sabe como agradar-me, a mim e ao mundo inteiro com noites que não têm fim. Ele é todo boa vibe, boas experiências, novas pessoas. Puff não consigo dizer mal dele. Não dá para não ficarmos apaixonadas por ele.

 

Para completar o trio maravilha, temos o Agosto, mas este é o mais caladinho de todos. Ele não é tão energético como os outros irmãos, mas adora a praia e o sol. Ele é mais low-profile mas não te deixes enganar por ele, porque ele adora festas e sítios paradisíacos. O problema é que ele não corre: ele anda, rasteja, dorme. Ele é tão pacífico que parece que hibernou. O "vamos fazer alguma coisa" para ele é acordar à uma da tarde, ir para a praia para ficar na areia a dormir a sesta das quatro da tarde, ir para casa as nove da noite e depois ir para a esplanada beber uma cerveja e falar até às tantas para fazer tempo para ir comer um kebab às quatro da manhã. Ele próprio acha a sua companhia cansantiva, mas dêmos-lhe um desconto: ele tem um bronze de fazer inveja a todos.

 

E agora sim já podemos falar do meu BFF: Setembro. Ele é meu BFF porque ele sabe que eu adoro voltar a ver as pessoas de férias; eu adoro ir para a praia quando toda a gente já voltou para a cidade; eu adoro que ainda esteja calor mas já não ande a trocar de roupa três vezes por dia; eu adoro ir aos centros comerciais e ver as botas e os casacos de pêlo; eu adoro ver que a cidade já está com vida de novo; eu adoro o início das séries, os novos programas a estrear. Ele é o início de muita coisa e eu adoro nisso nele. (Estamos em Maio e eu quero muito o Verão mas o primeiro de Setembro é sempre aquela coisa).

 

Outubro podia ser mais meu amigo mas ele é bastante matreiro. Primeiro consola-te com o fim do Verão e diz-te que ainda vais ter tempo para aproveitar o sol, mas passados 15 dias, vás! Manda-te as noites com um frio gelado e lixa-te a vida. Mete-te na cabeça uma coisa e depois faz outra. É aquele gajo que te dá as más notícias - «desculpa, mas vai começar o frio». E ainda estraga-me a vida a sonhar com as botas que eu só posso comprar em Dezembro. É um gajo bacano mas não serve de muito.

 

 Novembro é aquele tipo bué curioso, já os estudos dizem que é o mês com mais aniversários - porque todos os casais celembram o Dia dos Namorados da mesma forma e os hospitais já estao preparados para o babyboom que aí vem. Ele é misterioso porque eu não faço ideia como é que ele consegue convencer meio mundo a sair de casa para o frio e a chuva. Quando ele aparece é a minha desculpa perfeita para ficar em casa, vestir o pijama quentinho, preparar o cházinho e as torradas e por-me a frente de um visor com a mantinha a ver o que me apetece. Novembro puxa pelo meu lado mais preguiçoso e é por isso que tenho um fraquinho por ele.

 

E para terminar podemos falar do meu mês: Dezembro é aquele gajo que tem tudo de errado mas tu adoras-lo na mesma. Ele é frio, nevoso, chuvoso, mas ele aquece-te o coração com as festas, os presentes, os saldos, os domingos passados a ver filmes, o endredon na tua cama, os chocolates, as rabanadas, o bacalhau....é a ruína de qualquer cintura e conta bancária, mas toda a gente o desculpa porque ele faz isto por amor, pelos amigos, pela família.

Ele diz-te que fazes bem em comer uma caixa de Ferrero Rocher em uma hora porque estás no sofá a ver o Love Actually; ele diz-te que não tem mal faltares ao ginásio porque está frio e mais vale ir para casa enroscares-te na cama; ele diz-te que podes comer rabanadas ao pequeno-almoço, almoço e jantar porque estás em família. É aquele sacana que te ilude por um mês e tu cais sempre na mesma desgraça quando chega Janeiro mas tu sabes que se não fosse assim tu não gostavas assim tanto dele.

 

Ah e claro, Dezembro é o mês em que nascem as pessoas mais awesome deste mundo (*): Steven Spielberg, Keith Richards, Walt Disney, Tom Waits, Jim Morrison, Frank Sinatra, Bill Hicks, Jane Austen, Beethoven, LeBron James, Papa Francisco, Edith Piaf, Jane Fonda, Samuel L. Jackson, Jared Leto, Lars Ulrich, Ralph Fiennes, Stan Lee, Howard Hughes, Sir Isaac Newton, Humphrey Bogart, Alex Furguson, Anthony Hopkins, Diane Von Furstenberg, eu, a minha mãe...não é preciso dizer mais, pois não?

(*) Este mês também tem a tendência de produzir ditadores mas isso são pormenores.

 

Já agora, qual é o vosso mês?

7 Regras para se ser um turista a sério

amaralrita, 06.05.15

Eu sou uma pessoa de factos e teorias científicas altamente comprovadas pela minha própria pessoa e testadas somente na minha experiência. E com a minha mais recente visita ao Porto, consegui finalmente teorizar como se deve ser um bom turista.

 

A primeira coisa que devem saber é que o meu método é universal: pode ser usado em qualquer cidade do mundo e dá para qualquer pessoa. Se acham que é um plano demasiado rigoroso, temos pena, vocês não são turistas profissionais e são uma vergonha para esta mui nobre profissão. Deixem-se de fitas e façam o plano e vão ver como se vão sentir mais confiantes e determinados em explorar este e outro mundo.

 

Regra número 1: preparar o estaminé, que inclui mochila, carteira, máquina fotográfica, garrafa de água, guarda-chuva. Se quiserem ainda uns snacks, tudo bem, mas mais vale ficar à mercê da comida da cidade e destruir a conta bancária na rua.

 

Regra número 2: fazer uma lista de sítios a visitar, mas com a atitude de que pelo meio já não se vai visitar nada. Toda a cidade consume o turista e no segundo dia já nos perdemos. Mas não tem mal, é tudo parte da experiência.

 

Regra número 3: tirar fotos é como os chineses: carregar no botão e disparar para todos os lados, cima, baixo, céu, tecto, chão, cave, pomba, pato, lagartixa...toda a foto é uma boa foto!

 

Dou a dica de não esquecer de tirar fotos com o telemóvel para se poder postar logo no Instagram - mas não é para postar LOGO! Há sempre uma foto melhor do que a a seguir e, por isso, na pausa do almoço, deve-se escolher a fotografia a postar. E nada de saturar o feed, já meio mundo sabe que estamos naquela cidade e nem toda a gente tem de saber todo o quilómetro quadrado que pisamos. Deve-se postar para os outros ficarem com inveja mas curiosos para saber mais - é o equilíbrio perfeito.

 

Regra número 4: Se é para ser turista a sério é para ter a mente aberta: está ali uma igreja? E ao lado outra igreja? e um museu? e um jardim? e uma loja de flores? e uma outra igreja? e uma outra praça? e um restaurante com coisas típicas? E isto e aquilo? Meus caros, é para fazer tudo!

É para ir ao museu e ver as peças todas em todos os pisos; é para ver a igreja e ver as figurinhas todas; é para ir ao jardim e ler as placas com todas as espécies de flores lá metidas. Se for para visitar Portugal, podem deixar algumas coisas para outros fins-de-semana, que uma segunda visita pode ser planeada com mais cuidado e ser melhor do que a primeira vez. Agora se vão para as Malásias e as Tailândias desta vida, por favor, fiquem acordados das 6 da manhã até às 2 da madrugada, para aproveitar dia, noite, sol, chuva, estrelas, candeeiros de rua. As cidades demoram anos a serem construídas mas nós só temos 5 dias para ver tudo. 

 

Regra número 5: mapas são coisas do passado. Há smartphones, há GPS, há Google Maps. Se o telemóvel decidiu ser estúpido sigam o método dos animais. Sigam a manada, principalmente a que tem europeus ricos, que andam com os livros, ou os simples chineses, que estão todos em linha. Eles sabem para onde vão e nós vamos com eles.

 

Regra número 6: saber onde é o MacDonalds é importante mas só em caso de SOS. Os primeiros 3 kilos que vamos engordar devem ser de origem gastronómica tradicional da cidade e o restante deve ser cafeína, talvez do Starbucks. Se as ofertas gastronómicas não forem nada atractivas, podemos engordar até 4 quilos e só podemos consumir um kilo de Nuggets. Nuggets é refeição, não é para petiscar, por isso não abusem.

 

Regra número 7: transportes públicos com muita moderação e táxis só para se sair à noite. De resto faz-se tudo a pé. Dá para conhecer as lojinhas, a comida de rua, os pombinhos, tudo. E deixem-se de mariquices. Tou-me a cagar se Londres é dez vezes maior que Amesterdão: andar faz bem e ter bolhas nos pés é sinal de riqueza no futuro, como manda a sina. Liguem as pilhas e ponham-se a andar.

 

Este é o guia de principiante. Devem seguir todas estas regras de forma religiosa nas vossas primeiras dez viagens. Depois, podem adaptar os vossos próprios planos mas vão perceber que o meu plano é infalível e nunca mais na vida se vão perder. Palavra de turista profissional!

Não é Fast Fashion, é Rapid Fashion

amaralrita, 05.05.15

Qualquer mulher sabe que a Zara e a H&M são a sua maior ruína. Então agora que se viraram para o negócio de «vamos vender barato mas melhorar a qualidade» então não há como escapar-se-lhes. São piores que os pombos em Lisboa. Estão em todo o lado, não dá como as evitar.

 

Abaixo destas duas há sempre a Primark, a loja do desenrasca, a loja do «ah custa 10 euros mas é so para levar para aquela saída à noite», a loja do «mais um colar, menos um colar, mais uma mala, menos uma mala, não importa muito». Mas o problema da Primark é que ela é mais matreira do que nós. Ela faz-nos desejar uma coisa mas se voltamos no dia seguinte para a ir buscar, ela já desapareceu. Estamos a começar a Primavera e ela já se está a preparar para o Inverno. Ir à Primark é como jogar ao rato e ao gato: ou se compra logo tudo ou então já não há nada.

 

Mas a Primark só não se torna o maior pesadelo de todos os tempos porque não tem loja online - mas a Missguided e a Boohoo têm. 

 

Descubri através do The Guardian (és o melhor jornal do mundo, para o bem e para o mal) e fui logo investigar. Mal procurei por ténis percebi logo: estou fodida, é desta que vou à falência. É a diversidade, é os sapatos trendy e são os preços estupidamente baratos.

 

 

Como é que não há uma lei a proibir isto?

Como é que não há uma lei a incentivar a criação de mais lojas como esta?

Como é que não há uma lei que proiba os pagamentos online fáceis?

 

Só chego a uma conclusão: este mundo moderno está a andar muito rápido e eu não tenho financiamento para o acompanhar. Ai a minha (pobre) vida!

 

Coisas sobre o Porto

amaralrita, 04.05.15

Pois é, fui passar um fim-de-semana no Porto e com a quantidade de coisas que quero dizer, parece que foi a melhor coisa que me aconteceu nos últimos tempos. Sim, passar três dias no Porto a chover a potes foi extremamente emocionante e andei tanto mas tanto que consegui reflectir sobre muita coisa:

 

- O Costa Café é o Starbucks português e toda a gente conhece lá fora, mas eu nunca o tinha visto.

 

- A calçada do Porto é mil vezes melhor do que o Terreiro do Paço. Para quem ama andar de saltos altos agulha de 20 centímetros, está aprovada.

 

- Em Lisboa a praga são os pombos mas no Porto há pombos E gaivotas nos jardins. Estou solidária com os portuenses porque lidar com isto não é fácil.

 

- Se achavam que eu ia deixar de fazer exercício físico nestas mini-férias, estão enganados, que subir a Torre dos Clérigos é um treino de pernas de alto rendimento. A dorzinha do músculo tonificado sente-se logo.

 

- E andar meia hora com o guarda-chuva aberto? Só o trabalho de bícep vale por 100 flexões. Estou arrumada este mês.

 

- E mais, a Torre dos Clérigos está tão bem conservada que sujei o casaco e as mãos nos corrimões das escadas. Bem me avisaram.

 

- Não sei porquê, mas no Porto tudo parece mais arrumadinho, meio moderno, meio século XIX, mas com um ar mais rústico. Não sei, mas sei que é bonito, sim senhora.

 

- Por falar em bonito, sim, confirmo que as três pontes são muito bonitas, mesmo à chuva, mas eu continuo a adorar a Ponte Vasco da Gama que vejo da minha casa. Talvez um dia com mais sol, vá. Sorry, but I can't.

 

- A Avenida dos Aliados faz-me lembrar a Londres da Mary Poppins. Ou o espírito de Os Maias. Faz todo o sentido e para quem não faz, não me vou explicar.

 

- Estava a achar que o meu fim-de-semana estava arruinado com a chuva mas depois de uma senhora da bilheteira do elevador me ter perguntado onde eu tinha comprado a minha mochila Longchamp porque a minha mala era melhor do que as que as espanholas e as chinesas usam, ganhei o dia. Tão querida!

 

- Eles aqui no Norte levam as passadeiras a sério: esperar pelo sinal verde e atravessar no sítio. Tentei fazer uma à moda de Lisboa e ia levando com um autocarro em cima. Mas é assim que deve ser, não é?

 

- Eu achava que ia andar no Porto a ver ingleses todos contentes mas só ouvi falar francês (ricos dos suiços) e espanhol (mas esses já fazem parte da mobília, não é?)

 

Se acham que era só isto que eu tinha pensado enquanto estive no Porto, enganem-se, que esta cabeçinha pensa coisas parvas que servem para o ano inteiro. Mas amanhã falamos, pode ser?

Reflexões rápidas mas profundas

amaralrita, 01.05.15

- Sou a única pessoa a achar inútil lavar o cabelo quando chove? Vai estragar tudo.

 

- Não sei como passei a minha vida a comer Kinder quando podia comer chocolate negro saudável. Seria mais infeliz mas menos gordinha.

 

- Passo quatro dias em pé, dói-me as pernas e mesmo assim penso que tenho de ir correr. Ai a minha vida.

 

- Quando sabes que tiveste dias de cão, estás super cansada mas demoras uma hora a adormecer. Para que fico cansada então?

 

- Quando acho que sou uma pessoa pré-histórica por ainda ter um email do Hotmail e vejo empresas que têm um email da Telepac. Sinto-me logo como se fosse deste século.

 

- Como eu bebo vá 5 cafés por ano, a minha pausa da manhã é dar uma volta à praça de touros do Campo Pequeno. Ainda não nos cansámos de dar voltas.

 

- O meu conceito de "fazer a mala" é bastante complexo. Consiste em fazer combinações de roupa a pensar nos dias da semana, organizar as playlist do MP3, procurar os carregadores do telemóvel, portátil, tablet, MP3 e máquina fotográfica, e ainda escolher dois livros, duas revistas, um bloco de notas e uma caneta. Que vida!

Pág. 3/3