Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Uma playlist muito british

amaralrita, 02.04.15

Eu gosto de música. Eu gosto mesmo muito de música. Eu gosto de ouvir nova música e conhecer novos artistas, porque às vezes chegam aqueles meses em que não nos apetece ouvir nada, queremos alguma coisa fresca mas os nossos artistas preferidos estão de férias - coitados, depois de nos darem tantas alegrias, também é bom que tirem férias.

Actualmente ando mais virada para ouvir coisas comerciais - lá está, estou tão preguiçosa para procurar que vou explorar o que toda a gente anda a ouvir a ver se é bom ou mau. Ou então esperamos pelas entregas de cerimónias de prémios para ver quem é que está na berra. Quase um mês depois dos BRIT AWARDS, eu ainda ando a ouvir artistas britânicos, pois eles estão em alta e a qualidade é boa. Ora vejam/oiçam (*):

George Ezra

Puto giro que sabe tocar guitarra e escreve algumas das suas letras. Ah mas tem um vozeirão gutural de fazer inveja ao Bob Dylan. Se ele investir mesmo na carreira, pode vir a ser grande nos próximo anos.

LISTEN:  CASSIE O | LISTEN TO THE MAN | BLAME IT ON ME

Paloma Faith

Lembra-se do jazz da Amy Whinehouse? Se estava com saudades, pode ser descobrir a Paloma com a sua voz mais dramática mas poderosa. Esteve nomeada três vezes para a Melhor Voz Feminina nos BRIT AWARDS e só ganhou este ano. Mas vai ver que merecia os três.

LISTEN: CAN'T RELY ON YOU | ONLY LOVE CAN HURT LIKE THIS | UPSIDE DOWN

JAMES BAY

Escrevam num papel ou nas paredes do vosso quarto: o James Bay vai ser o vosso artista preferido dos próximos tempos. 25 anos, voz e look indie mas com uma guitarra capaz de fazer milagres. As suas músicas delicadas mas focalizadas no instrumental tornam as suas letras ainda mais poderosas. Compre o CD, é só isso que lhe digo.

LISTEN: SCARS | HOLD BACK THE RIVER | IF YOU EVER WANT TO BE LOVE

Ed Sheeran

Acho que o Ed dispensa de apresentações. Agrada a miúdos e graúdos porque é apenas um puto ruivo com uma guitarra a cantar e a tocar aquilo que lhe apetece, seja pop, rock ou jazz. E vai fazer três espectáculos no estádio de Wimbley no Verão. Será que vai conseguir encher aquele palco enorme? Não sei, mas ele tem todo um one-man-show muito competente.

LISTEN: BLOOSTREAM | THINKING OUT LOUD | THE ONE

Royal Blood

Mal os ouvi pensei: «são estes gajos que vêem salvar o rock antigo». A beijarem os pés de Jack White e Jimmy Page, os Royal Blood trazem a sua guitarra furiosa ao Coliseu de Lisboa já no dia 2 de abril. A oportunidade de os ver vai ter de ficar para outra altura mas entretando há sempre o álbum de estreia para ouvir e repetir quantas vezes quiser.

LISTEN: FIGURE IT OUT | TEN TONNE SKELETON | OUT OF THE BLACK

ELLIE GOULDING

Esta menina/senhora tem sido a minha preferida dos últimos tempos. Uma pessoa anda cansada do pop chato e sempre igual das outras todas mas a Ellie Goulding dá ao pop um ar electrónico, dramático, a rasgar o desespero. A sua voz, tal como ela admite, vai para todas as direcções, dos agudos aos graves sem qualquer tipo de técnica especial. Um pop mais maduro e nada secante. É de ouvir com atenção.

LISTEN: ATLANTIS | THE WRITER | ONLY YOU | ANYTHING CAN HAPPEN

 

(*) Não tenho qualquer tipo de direitos de autor sobre as músicas dos artistas ou as fotografias que integram este artigo.

Laggies: como enfrentar a idade adulta

amaralrita, 01.04.15

 

 

Acho que a Keira Knightley é a minha actriz favorita. Gosto do facto de ela fazer filmes de época mas adoro ainda mais quando ela faz filmes modernos, porque ela tem aquele ar de desajeitada, de menina rebelde de nariz empinado e respondona. A-DO-RO. E depois de ver o "Begin Again" ("Num Outro Tom", em PT), so tinha de esperar mais uns meses para ver o "Laggies", no qual, cá está, a Keira faz de uma mulher de 28 anos perdda na vida e que quer tirar férias da idade adulta e voltar a ser adolescente, acampando em casa de uma "amiga", a fantástica Chloe Grace Moretz, mesmo quando seu pai não gosta muito da ideia, o também fantástico Sam Rockwell.

Com um elenco destes, óbvio que eu ia gostar do filme e a lição de vida (ou o raspanete) também me tocou: o tempo passa e ficamos adultos e não podemos fugir, apenas podemos ganhar tomates e enfrentar o mundo com o melhor sorriso irónico de sempre. Lá no fundo somos todos criançinhas de 10 anos a querer o colinho da mãe e comer danoninhos o resto do dia. Mas não pode sempre ser assim mas não devemos deixar de ser crianças. E é por isso que "Laggies" é um docinho para se ver a um domingo à tarde.

Pág. 6/6