Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

1 ano de coisas parvas

É oficial: o Agora a Sério faz 1 ano!!

 

Para o mundo da blogosfera, são ridículos estes 366 dias (podemos por mais um, é ano bisexto). Há blogues com meses, anos, décadas e eu aqui a celebrar uma ano com mais de cem posts, algumas centenas de visualizações e umas dezenas de comentários.

Contudo, para mim é uma grande vitória.

Para quem escreve desde sempre e quem já teve blocos, livros, documentos de word, pastas de ficheiros, páginas e páginas escritas, quatro ou cinco blogues criados e apagados, para quem sabe o que é escrever a vida inteira e saber que é o que vai fazer para o resto da vida, ter um blogue durante um ano com actividade é uma imensa vitória.

É tão fácil começarmos as coisas e não as acabarmos. É tão fácil começar um blogue e quando não o conseguimos continuar criarmos outro e outro, só para cobrir o vazio intelectual que não conseguimos preencher. É tão fácil fazer este processo durante anos e anos, a começar na adolescência.

 

Quando criei o Agora a Sério há um ano, foi mais um momento inesperado de determinação: eu criei o blogue porque queria escrever em português e sem regras, sem temas pré-definidos, sem tópicos de discussão. Eu já tinha um outro blogue mas decidi que ia investir neste bastante a sério. Sabia que já tinha maturidade para levar isto para a frente, sabia que tinha os conhecimentos técnicos para conseguir escrever e planificar tudo, sabia que ia ter um plano de vida para ele. E a verdade é que consegui fazer isso, mais ou menos.

Depois de um Verão intenso com imensos posts e visualizações, o blogue chegou a Setembro com a missão de ter uma página no Facebook, para ser alimentado todos os dias, com pequenas ideias, para dar mais cor ao blogue. Mas o tempo, a criatividade e o trabalho fizeram com que a frequência de posts diminuisse. A vontade de continuar foi posta em causa bastante vezes. Mas de cada vez que acabava um texto e tinha feedback das pessoas, sentia que deveria continuar. Cada vez que acabava um texto de que me sentia orgulhosa de ter escrito, sentia que deveria continuar.

 

E assim foi e cá estamos nós hoje. Posso dizer que depois de muitos projectos e desistências, depois de anos e anos a escrever, consegui ter um projecto próprio ao qual me dedico há pelo menos um ano. E que nesse ano consegui manter um certo ritmo, consegui ir actualizando este projecto, consegui ir tendo ideias de como melhorar e torná-lo mais visível. E depois de se criar um blogue "bem sucedido", surgem novas ideias: uma mais inspiracional (Epa Logo Se Vê) e outra ainda mais séria, profissional, com ainda mais planos (Erre Grande). Ambos surgiram simplesmente porque me apeteceu e lá continuam os dois ao lado do irmão mais velho.

 

Este longo post (que não faço ideia porque é que me entusiasmei a fazê-lo) serve apenas para dizer que estou satisfeita comigo mesma e com o meu trabalho e que este caminho vai continuar por mais um ano, ou dois, ou três, quem sabe para sempre, ainda não sei. E serve também para dizer a qualquer pessoa que esteja a ler e que tenha aspirações a escrever que não desistam! Continuem a escrever todos os dias, um pouco que seja, em qualquer lado, no bloco, no pc, num blogue privado, nos transportes, no café, em casa, às 6 da manhã ou às tantas da madrugada. Continuem sempre a escrever e PUBLIQUEM! Não tenham medo de partilharem as vossas ideias com os outros - as outras pessoas também andam à procura de alguém que tenham as vossas ideias e só partilhando é que conseguimos ter feedback para melhorar e continuar o nosso caminho.

 

Obrigada à família e amigos que sem dúvida alguma ajudaram e apoiaram este blogue e sinceramente, vamos lá parar com estas baboseiras tontinhas que isto já parece um blogue profissional - que coisa parva esta, agora o bloguito decidir escrever textos longos sem uma única parvoíce escrita. Vá, vamos lá bater com a cabeça na parede a ver se o parafuso desencaixa e os próximos posts sejam as últimas coca-colas de Marte (acham mesmo que era a última coca-cola do deserto? até parece que este parvo é deste mundo...)

 

:D

O melhor de 2015

Com o final do ano, temos de fazer todo um grande resumo dos melhores momentos aqui no blogue.

Foi de facto um ano cheio de aventuras e por isso aqui fica a lista de disparates feitos que me deixam super orgulhosa, pois são a prova de que evolui muito:

 

- Já sei me maquilhar, pelo menos sei o básico, não me peçam blush nem purporinas que ainda não cheguei lá;

 

- Dei largas às minhas aspirações de diva e fiz uma sessão fotográfica - até que correu bem!

 

- Homens charmosos são sempre do Sporting, está provado cientificamente;

 

Encontrei a minha cara metade e já não quero mais ninguém;

 

Experimentei dar umas dicas de ginástica mas eu continuo sem conseguir manter uma rotina digna de pessoa normal, a ver se leio este artigo para aprender alguma coisa;

 

- O mundo ficou a saber que a minha peça de roupa preferida são/eram umas calças brancas número 38. Não consigo falar delas sem ter uma lágrima no canto do olho;

 

Festejar feriados não é comigo...mas fazer a festa e conhecer pessoas é todos os dias!

 

- Aparentemente também descobri que sou famosa mas ainda não estou a ter o proveito;

 

Ir ao Porto foi uma super aventura e deu-me inspiração para me tornar numa turista a sério;

 

- Quando não se tem nada para fazer, xinga-se os meses do ano...porque pode-se culpar tudo e mais alguma coisa. Mas também porque vale a pena preocuparmo-nos com o fim do mundo?

 

- Ser saudável não é bom, porque dá trabalho, faz suar, dá dores de cabeça mas lá no fundo sabemos que vale a pena;

 

- As amigas tiveram um destaque, num momento de pieguice e fraqueza que prometo que não se volta a repetir em 2016.

 

- Ficámos doentes uma vez, quando apanhámos o Síndrome das Quatro da Manhã; e em Junho celebrámos o melhor aniversário do ano.

 

- Já o Verão, foi uma verdadeira montanha russa: o Verão chegou meio bipolar, faltámos aos festivais de verãodemos o nosso ar de graça contrariado no Santo António, engordámos uns 5 quilos, não tivemos descanso com todos os escândalos, e ficámos deprimidos com a saudade de um velho amigo que partiu e não regressa.

 

Ir às compras perdeu a sua piada e o encanto dos Saldos também já lá vai;

 

- Estamos todos hips nas redes sociais;

 

- E as aventuras no carro tomaram propoções épicas este ano: ah mais o facto de ter ficado sem bateria, gasolina e óleo num espaço de cinco meses.

 

MAS HÁ MAIS:

Entornar galão no carro; passar traços contínuos porque ir dar à volta à rotunda dá muito trabalho; correr à meia noite, para ver se passa a bebedeira; devorar um bolo às duas da manhã; ir para a night, dormir duas horas e começar o dia como se nada fosse; passar 3 horas seguidas ao telefone (sim, aconteceu); levantar às 6 da manhã para ir correr - onde é que eu tinha a cabeça; afinal a margem sul não é assim tão má; e virámos rebeldes e fizemos uma tatuagem - whaaaat;

 

E mais e mais coisas aconteceram. Mais loucuras escondidas nos pântanos da memória. 2015 foi um ano muito bom para o bloguito que está cansado de fazer tanta asneira mas parece-lhe que o futuro não vai melhorar e por isso mais vale encolher os ombros e aproveitar a montanha russa enquanto temos saúde (às vezes o colchão da cama já faz doer as costas mas nós aguentamos).

 

Beijinhos, abraços, beijinho de esquimó, corações, emojis e outras piroseiras que o bloguito gosta de mandar a todos vocês que o deixam todo piegas quando o lêem e falam com ele. Um óptimo 2016 e se se sentirem estúpidos com as asneiras que fazem na vida, já sabem que o nosso ombro está sempre aqui para vos apoiar.

 

Até 2016!