Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Se as mulheres mandassem no futebol

Eu sou mulher e não sou fã de futebol. Reviro os olhos de cada vez que os homens ameaçam que vão entrar numa discussão sobre o pé esquerdo do jogador do Benfica e a transferência do jogador do Porto para um clube qualquer da Europa. Estou a escrever isto e só me lembro do nome Jackson Martinez - não faço puto de ideia de quem seja mas tem ganda nome.

 

O que me faz não ser fã de futebol é o facto de ninguém perceber que eu sou uma excelente treinadora de bancada. Eu não vejo futebol mas percebo de várias coisas e todos os comentários que faço são bastante bons. Eu só não vejo muitos jogos porque passo-me da cabeça porque como é que é assim tão difícil 22 homens em campo não conseguirem meter uma bola dentro de uma rede em 90 minutos? Isso dá para arranjar o cabelo, enquanto se pinta as unhas, mete-se uma máscara de beleza no rosto e ainda dar uns golinhos no suminho verde. É só chutar, não percebo o drama.

 

Se as mulheres mandassem no futebol, isto era uma coisa muito mais fácil, os clubes passavam dos 100 pontos, o Ronaldo marcava 3 golos por jogo, o árbitro não fazia o que lhe apetecia, os adeptos só bebiam champagne e se aos 90 minutos e um segundo a nossa equipa estivesse a perder, parava-se o jogo para recomeçar noutro dia, porque eu não vou perder tempo para ver a minha equipa a perder, não é?

 

E se pensam que as mulheres não percebem nada de futebol, tenho-vos a dizer que qualquer mulher que eu conheço fã de futebol punha o Pinto da Costa a chorar no colinho da mamã. Porque nós sabemos imensas coisas (sim, homens, nós sabemos o que é um Fora de Jogo, não precisam de explicar isso pela milésima vez, num bar, com cinco Super Bocks à frente a explicar a táctica da coisa) e se mandássemos nisto tudo, as coisas funcionavam da seguinte forma:

 

Tudo é falta, tudo dava direito a amarelo, até uma festinha na cara;

 

O jogador preferido é aquele que é mais giro. Quando estão a cantar o hino ou nos primeiros cinco minutos, a gente fica com um debaixo de olho e já está, é o melhor jogador do mundo.

 

Ah sim e eles só conseguem ser bonitos dentro de campo, vermelhos e com trinta litros de suor a brilhar no corpo. Se fossemos ver ao perto, continuavam a parecer como o Beckham no Real Madrid com brincos nas orelhas (coitadinho, já passou, pronto).

 

Nós também não olhamos só para um. Nós temos tempo e disponibilidade para inspeccionar toda a equipa, no relvado e no Instagram, porque fã que é fã conhece a equipa a fundo, já que a Sara Carbonero é tão importante quanto o Casillas.

 

Nós torcemos pela equipa e somos tão tão tão fiéis que parte-nos o coração quando os jogadores perdem a cabeça e fazem um corte de cabelo horrível. Se eu fosse casada com ele, a ver se ele fazia destas coisas, é o que eu penso;

 

Nós damos instruções claras - passar a bola para quem está sozinho mas os homens seguem a manada e depois admiram-se que perdem a bola. Mas porque é que é que não mandam a bola para onde não está ninguém?

 

Ninguém se arma em Rei da Selva e enfrenta dez defesas sozinho. Parem de ser o Tarzan e querer passar por cinco macacos com a bolinha nos pés. Filho, nós adoramos-te, mas não és o Ronaldinho, pára com isso;

 

A bola só serve para chutar, e não para dar beijinhos e festinhas. 20 minutos de jogo e ainda não há golos? Os milhões de euros gastos em Ibiza têm de passar recibo no campo;

 

Se a equipa estiver a perder por três golos, paramos o jogo, ligamos ao Ronaldo, esperamos que ele chegue, damos dez minutos de compensação e esperamos que ele resolva a palhaçada. Se ele não puder, esperamos pelo Neymar, mas nada de Messis.

 

Se faltarem dez minutos para o final e estamos a perder, tudo passa a ser penalty: penalty a meio campo, penalty na lateral, penalty quando roçam as pernas, penalty quando um jogador parece que vai cair no chão. Só pedimos um penalty, não custa muito;

 

Se for auto-golo, depois de anularmos obviamente, temos duas hipóteses: se for um guarda-redes fofinho, ainda lhe puxamos a moral, se for o Casillas é olho da rua.

 

O árbitro é o Diabo: cego, surdo, mudo, estrábico, esquizofréncio, disléxico, com problemas de fígado e com uma mulher feiosa que usa botox há décadas. Não serve para nada, claro;

 

 

Se a FPF me quiser contactar para mudarmos as regras do jogo, eu dou os conselhos de borla, que não quero ser presidente nem ter bilhetes - apenas quero um serviço especial com motorista quando a Segunda Circular entupir para não ficar presa no trânsito.

3 comentários

Comentar post