Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

Agora a Sério

Um local sério para se falar das coisas sérias de todos os dias. Só para pessoas que se levam muito a sério.

O que ando a fazer #1

A vida é meio maluca e deixa-nos sempre ocupados mas não podemos andar sempre com desculpas: tirarmos algum tempo livre para nos cultivarmos é realmente importante. Eu nestas coisas viro-me mais para a leitura mas cabe um é que sabe de si.

IMG_20150417_140656.jpg

Os últimos dois livros que li foram o Clube de Cinema, do jornalista David Gilmour, e Buda, da cientista Karen Armstrong. Dois livros bastante diferentes, sendo que o segundo já tinha lido e tive exactamente a mesma impressão. Mas uma segunda leitura é sempre diferente de uma primeira e valeram todos os minutos.

 

Mas nem sempre me consigo concentrar nos livros. Há sempre aquela semana em que conseguimos ler todos os dias e ficamos entusiasmados mas depois esquecemo-nos do livro e já nem vale a pena recomeçar. Por isso é que sou doida por revistas, de todos os tipos, assuntos e formatos. Uma revista pode-se ler em uma ou duas horas mas fica para a eternidade. Se no mês seguinte me apetecer ler de novo aquela história que me marcou, tenho uma outra experiência de leitura bastante prazerosa e que não demora semanas a ler.

 

Ora se geralmente quando preciso de ler alguma coisa, compro sempre uma revista de moda, como a Elle Portugal, mas às vezes uma pessoa tem de se virar para coisas mais "sérias". E depois de meses a ler ou a Time ou a The Economist, decidi mudar de ares e comprei a Marketeer e a Executive's Digest, a última muito pela capa e pelo preço convidativo. É preciso incentivar a imprensa e os negócios portugueses e quem diria que até eram uma boa leitura?

Para finalizar, a minha melhor amiga/irmã gémea/a minha alma, de seu nome música, está sempre comigo todos os dias. Nas últimas semanas, temos dado importância a James Bay - porque ele é um senhor fantástico que pegou numa guitarra e criou um álbum com sons simples mas letras profundas. Nem todos conseguem dominar esta arte, mas este senhor fá-lo na perfeição. Di-vi-no!

 

Ficam aqui as sugestões, se tiverem algumas, sintam-se à vontade de as dizer, que eu ando sempre à procura de novas revistas e novos livros para me esquecer deles na secretária.

 

 

2 comentários

Comentar post